‘É errado o Governo atual, para botar sua digital, recomeçar o processo’, diz ex-relator da Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 25/03/2019 09h41
Antonio Cruz/ Agência Brasil"Se quisessem modificar o nosso projeto bastava uma emenda aglutinativa modificando o que colocaram no atual projeto", justificou o ex-relator

Mesmo criticada desde o Governo Temer, a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo atual Governo poderia ser votada meses antes se tivesse aproveitado o texto anterior que já tramitava na Câmara. A avaliação foi do deputado Arthur Maia (DEM-BA), em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã.

Arthur Maia foi relator da proposta apresentada pelo Governo Temer e disse que ambas – a anterior e a que foi recentemente aprovada – são muito semelhantes. “É errado o Governo atual, para botar sua digital na reforma da Previdência, recomeçar o processo. Se quisessem modificar o nosso projeto bastava uma emenda aglutinativa modificando o que colocaram no atual projeto. Tudo seria aproveitado e o Brasil economizaria de seis a oito meses”, afirmou.

Para o deputado, ex-relator da reforma n Governo Temer, o atraso gerará grandes prejuízos ao País, já que o assunto poderia ser resolvido agora. Maia aproveitou para criticar o PSL que, segundo ele, não consegue indicar um relator para a Comissão de Constituição e Justiça.

“Não tem um deputado que tope ser relator na CCJ. Você vê que existe medo das pessoas de assumir esse papel. O o Governo errou de maneira prejudicial ao não aproveitar um projeto praticamente idêntico que poderia já ser votado na Câmara”, criticou.

O único ponto, segundo Arthur Maia, que não passará no novo projeto de reforma é retirara a questão previdenciária da Constituição. “Eu acho que essa proposta de tirar elementos da Previdência da Constituição muito dificilmente passaria no Congresso. As matérias mais importantes são colocadas na Constituição justamente para que não tenham muitas modificações”.

Relações entre Governo e Congresso

O fim de semana foi marcado por troca de farpas entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente da República, Jair Bolsonaro.

O deputado Arthur Maia comentou sobre o assunto e defendeu que é preciso “moderação, entendimento e bom-senso”. “Maia tem feito grande trabalho no sentido de tentar que se faça a aprovação da reforma da Previdência. Não só no atual, mas no encaminhado no Governo Temer. É preciso que haja conciliação, entendimento. O que vimos foram rusgas criadas por pessoas fora do Governo. Presidente não deve admitir que pessoas ligadas a ele tentem interferir na relação política. Não dá para fazer política dessa forma”, alertou.

Para o deputado Arthur Maia, “o Brasil não pode ser governado pelas redes sociais”.

Confira a entrevista completa com o deputado Arthur Maia: