Economista atribui queda na atividade econômica a um Governo ‘sem rumo’

Zeina Latif: “Vejo mérito nos esforços, mas precisa de uma arrumação maior do Governo”

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2019 10h15
Elias Gomes/Jovem Pan"O presidente passa ideia de pouca convicção em relação à necessidade de reformas. Vejo do ministro da Economia, mas não do presidente”, explicou

A atividade econômica registrou queda de 0,68% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao período anterior. O dado foi divulgado nesta quarta-feira (15) pelo Banco Central e o mostra o índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br).

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif, lembrou que o resultado negativo era esperado, mas não nesta intensidade. “Tem algo mais sério acontecendo com a nossa economia. Os indicadores de confiança tiveram inflexão, é uma economia que está sem motor para crescer”, afirmou.

A economista esclareceu que o Governo tem muitos talentos, mas está sem rumo e “errando muito na política”. “Tem muita divergência interna e o empresário olha esse quadro e a confiança cai. Tem que aprovar a reforma da Previdência, mas passado isso é importante que o Governo dê um norte à agenda econômica. O Governo sequer está conseguindo aprovar a MP da reforma administrativa”, apontou.

Para a economista-chefe, a reforma da Previdência é crucial, mas não resolve o problema como um todo e não dá a sensação de um Governo com foco.

“Vejo mérito nos esforços, coisas na direção correta, mas precisa de uma arrumação maior. As palavras têm peso. Quando se coloca de fazer uma reforma tributária e não explica, isso gera mais ruído. Isso tem que ser fruto de diálogo, de conversa (…) O presidente passa ideia de pouca convicção em relação à necessidade de reformas. Vejo do ministro da Economia, mas não do presidente”, explicou.

Confira a entrevista completa com a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif: