Edifício onde família brasileira morreu, no Chile, não tinha certificação adequada

O órgão do governo chileno abriu uma investigação para apurar a origem do ocorrido

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2019 06h30 - Atualizado em 24/05/2019 10h42
Reprodução/InstagramA hipótese principal é de que os turistas brasileiros tenham morrido intoxicados por monóxido de carbono

O prédio onde seis brasileiros morreram no Chile na última quarta-feira (22) não tinha selo de aprovação para instalação de gás, segundo informou a Superintendência de Eletricidade e Combustível do país para agência de notícias France Presse.

O órgão do governo chileno abriu uma investigação para apurar a origem do ocorrido com foco em três equipamentos a gás que estavam em funcionamento no apartamento: uma caldeira, um aquecedor e um fogão a gás.

A hipótese principal é de que os turistas brasileiros tenham morrido intoxicados por monóxido de carbono. Eles estavam de férias e o apartamento alugado se localizava no centro de Santiago, capital de Chile.

Nesta quinta-feira (23), a plataforma de aluguéis temporários Airbnb também confirmou que o aluguel do apartamento foi feito por meio do site e justificou que a certificação de que o local segue as leis é de responsabilidade do anfitrião.

Em nota, o Airbnb também disse lamentar o acidente e que “está acompanhando de perto a situação e trabalhando com urgência para dar apoio às famílias dos hóspedes”.

*Informações da repórter Victoria Abel