Elucidação do caso Vitória Gabrielly será feita nos próximos dias, afirma secretário de Segurança de SP

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2018 07h18
ReproduçãoA polícia ainda investiga o motivo do crime, mas trabalha com a possibilidade de que Vitória Gabrielly foi morta por engano

O caso da menina Vitória Gabrielly, morta por asfixia no mês passado, está perto de ter um desfecho. A jovem de 12 anos desapareceu na tarde do dia 8 de junho em Araçariguama, enquanto andava de patins na rua.

O corpo da menina foi encontrado oito dias depois em um matagal às margens de uma estrada de terra do bairro de Caxambu. Novas testemunhas seriam ouvidas nesta segunda-feira (02), mas por causa do jogo da Seleção Brasileira o expediente do Judiciário foi mais curto.

Segundo o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo a polícia está bem próxima de solucionar o caso. Mágino Alves Barbosa Filho disse que faltam laudos técnicos, mas já foram encontradas algumas pistas sobre o caso: “existem já pessoas que estão presas, duas delas temporariamente, uma delas com preventiva decretada. A elucidação deste caso será feita nos próximos dias”.

Desde a última sexta-feira, o casal Bruno de Oliveira e Mayara de Abrantes está preso temporariamente sob suspeita de matar a menina Vitória. Um laudo de material genético não apontou a presença de DNA da vítima nas unhas do casal.

A polícia diz que cães farejadores identificaram o cheiro da jovem na residência do casal e a presença de Bruno no local onde o corpo foi encontrado.

O servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, que trabalhou com Bruno há cerca de 30 dias, também foi indiciado pelo crime após um laudo apontar a presença de DNA da menina nas unhas dele.

A defesa de Bruno e Mayara reforça que o casal tem álibi e que o carro dele estava no conserto no dia que a menina desapareceu.

O advogado Jairo Coneglian afirmou que o servente de pedreiro Júlio César está mentindo para acobertar o responsável pela morte de Vitória. “No laudo apareceu outra pessoal que não é Bruno e nem Mayara. Ele está escondendo esse elemento, que talvez seja um traficante perigoso, estamos supondo, ninguém sabe”, disse.

A polícia ainda investiga o motivo do crime, mas trabalha com a possibilidade de que Vitória Gabrielly foi morta por engano. A jovem foi encontrada sem vida, amarrada a uma árvore e com os pés e mãos atadas. O IML concluiu que ela morreu por asfixia e que tentou se defender antes de ter sido assassinada.

*Informações da repórter Nanny Cox