Em alfinetada indireta a Trump, Bush critica economia e a atuação política dos Estados Unidos

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2017 09h25 - Atualizado em 20/10/2017 09h49
Reprodução/TV GloboO ex-presidente não chegou a citar Trump, mas destacou as fragilidades que existem no governo como a vulnerabilidade dos debates políticos com outros países

O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush fez um discurso no seu instituto na cidade de Nova York. Ele falou dos desafios que a democracia vem enfrentando, nos EUA e no mundo.

O ex-presidente não chegou a citar o nome de Trump, mas destacou as fragilidades que existem no governo americano como a vulnerabilidade dos debates políticos com outros países: “nós estamos reunidos pela causa da liberdade. É por isso que estamos aqui. Este é um momento único. A democracia enfrenta sérios desafios e parece perder a confiança. Nós sabemos que a repressão não é o futuro. Existe o problema envolvendo as ameaças nucleares. Vimos o nacionalismo distorcido em nativismo e esquecemos o dinamismo que as inovações sempre trouxeram aos Estados Unidos. Perdemos a confiança na economia de mercado e no comércio internacional, esquecendo que os conflitos, a instabilidade e a pobreza são as consequências do protecionismo”.

De maneira indireta, Bush criticou a maneira como Donald Trump lida com outros países, incluindo os desacordos nucleares com a Coreia do Norte.

Em nota divulgada nesta quinta-feira (19) pela agência norte-coreana KCNA, o governo de Kim Jong-un ameaça lançar um ataque inimaginável aos Estados Unidos em um momento inesperado.

A declaração foi feita em meio a exercícios militares conjuntos realizados pelos EUA e pela Coreia do Sul na península coreana, envolvendo o porta-aviões USS Ronald Reagan. A ação teve início na segunda e prosseguirá até esta sexta-feira (20).

Na segunda-feira, o embaixador adjunto da Coreia do Norte nas Nações Unidas, Kim In Ryong, disse que a situação na península atingiu um ponto em que uma guerra nuclear pode começar a qualquer momento.

*Informações do repórter Victor Moraes