Em aproximação com Bolsonaro, Crivella desiste de passar gestão do Sambódromo a Witzel

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2019 07h45
Severino Silva/Estadão ConteúdoPrefeito conseguiu o dinheiro que precisava para a Marquês de Sapucaí com o governo federal

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), anunciou, nesta segunda-feira (18), que desistiu de conceder ao governo do Estado à administração do Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Havia um acordo entre ele e o governador, Wilson Witzel (PSC), mas Crivella agradeceu a oferta de ajuda e disse já ter o dinheiro para as obras demandadas pelo Corpo de Bombeiros para o Carnaval 2020.

Os mais de R$ 8 bilhões necessários para a realização dos ajustes serão cedidos pelo governo federal, através do Ministério do Turismo. Com isso, Crivella demonstra que tenta se aproximar cada vez mais da gestão do presidente Jair Bolsonaro, aproveitando o momento turbulento na relação dele com Witzel – que revelou que se lançará como candidato à Presidência nas eleições de 2022.

Com isso, Bolsonaro se sentiu traído e deu às costas ao governador do Rio e pode, por manobra política, se aproximar efetivamente de Crivella. Witzel, por sua vez, já tinha dito, recentemente, que estava se sentindo “enganado” pelo prefeito.

Crivella vai tentar a reeleição em 2020 e, por isso, o apoio de Bolsonaro seria muito bem-vindo. Enquanto isso, Witzel apoiará a candidatura de Eduardo Paes.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga