Em balanço, ministro Ernesto Araújo comemora resultados de viagem aos EUA

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2019 10h05
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilO chanceler também negou ter ficado incomodado com o fato de o deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, ter participado do encontro do pai com Donald Trump

O Governo do presidente Jair Bolsonaro comemorou resultados da viagem aos Estados Unidos. Nesta quarta-feira (20), o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, fez um balanço sobre a visita da comitiva brasileira ao presidente norte-americano Donald Trump.

Durante coletiva de imprensa no Itamaraty, o chanceler rebateu as críticas sobre os acordos bilaterais assinados com Donald Trump e pontuou que fez diversas reuniões em Washington com representantes do Governo e influenciadores.

Ernesto Araújo destacou que as propostas fazem parte de um alinhamento da política externa com os anseios da população: “Esse pacote representa mudança nos eixos globais. Claro que temos de continuar trabalhando para ele se tornar realidade. Mudança de eixo para o que os brasileiros querem”.

O ministro das Relações Exteriores afirmou que as conquistas fazem parte de um processo de construção e sinceridade diante do mundo, sem o “toma lá dá cá” da velha política.

Sobre a busca pela entrada na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Ernesto Araújo disse que o Brasil não deve mais se colocar em posição de país “em desenvolvimento”. Ele destacou que o tratamento especial na Organização Mundial do Comércio não está ajudando o Brasil a crescer.

O chanceler também falou que espera apoio do Congresso Nacional sobre os temas discutidos nos Estados Unidos que terão que passar pela aprovação dos parlamentares, como o uso da base espacial de Alcântara, no Maranhão, pelos Estados Unidos. Ele também reforçou a postura antiglobalista. Para ele, trata-se de uma ideologia perversa para o ser humano.

O ministro das Relações Exteriores não confirmou a transferência da embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. Ernesto Araújo disse que é preciso aguardar a viagem do presidente Jair Bolsonaro para Israel, prevista para o próximo dia 31.

O chanceler também negou ter ficado incomodado com o fato de o deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, ter participado do encontro do pai com Donald Trump. Para Ernesto Araújo, um dos principais saldos positivos foi a inclusão do Brasil como aliado preferencial dos Estados Unidos na Otan, a Organização do Tratado do Atlântico Norte.

*Informações do repórter Matheus Meirelles