Em busca de apoio nas eleições, Governo acelera negociações pela reforma ministerial

  • Por Jovem Pan
  • 21/03/2018 06h21 - Atualizado em 21/03/2018 06h22
Acervo/Câmara dos Deputados Imagem de arquivo da Esplanada dos Ministérios Temer quer o apoio das legendas na corrida pelo Planalto em troca de manter o lugar delas na Esplanada

Ministros que vão concorrer a algum cargo nas eleições deste ano têm pouco mais de duas semanas para deixar os Ministérios. Até o dia 07 de abril, de 10 a 12 ministros devem deixar as pastas. Por isso, o presidente Michel Temer tem pressa para começar as negociações pelas trocas.

Os partidos que ocupam os cargos não querem perder influência nas escolhas dos próximos ministros, mas também têm suas demandas com o Governo. Por outro lado, o Planalto busca apoio para o próprio projeto eleitoral.

Apesar da impopularidade, o presidente Michel Temer quer tentar a reeleição e já articula a candidatura dele nos bastidores. Por isso, quer o apoio das legendas na corrida pelo Planalto em troca de manter o lugar delas na Esplanada.

Uma das pastas mais cobiçadas nos próximos dias deve ser a da Fazenda, já que o ministro Henrique Meirelles também com ambições eleitorais, deve deixar o posto.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, evitou falar em possíveis substitutos. “Estamos conversando com ministros, presidente está avaliando e depois vamos falar com os partidos”, disse.

Eliseu Padilha tem sido um dos principais responsáveis por conduzir a reforma ministerial. Ele tem conversado com os ministros que pretendem deixar o cargo e, nos próximos dias, deve negociar com os presidentes dos partidos.

*Informações do repórter Levy Guimarães