Em carta aos eleitores, FHC pede serenidade e união contra candidatos radicais

  • Por Jovem Pan
  • 21/09/2018 07h36
Rodrigo Ramon/Jovem PanFernando Henrique Cardoso fez um mea culpa, dizendo que os partidos políticos “têm responsabilidade nessa crise”

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso divulgou uma carta ao eleitor pedindo a união contra candidatos radicais.

Há menos de três semanas do pleito, FHC fez uma análise sobre o momento político brasileiro. Ele declarou que em poucas ocasiões viu condições políticas e sociais tão desafiadoras quanto as atuais.

O político também falou que diante da “dramaticidade do quadro”, “ou se busca a coesão política” ou “o remendo eleitoral da escolha de um salvador da Pátria ou de um demagogo, mesmo que bem-intencionado, nos levará ao aprofundamento da crise econômica, social e política”.

Fernando Henrique Cardoso fez um mea culpa, dizendo que os partidos políticos “têm responsabilidade nessa crise”.

Na carta, FHC falou sobre os dois candidatos que encabeçam as pesquisas de intenções de voto: Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT.

A gravidade da facada contra Bolsonaro é um grito de alerta contra o discurso de ódio, de acordo com o ex-presidente, estimulado pela própria vítima do ato extremo.

O tucano também criticou que o opositor mais próximo de Bolsonaro seja um candidato que representa um líder preso por acusações de corrupção.

No atual quadro, FHC avalia que “ainda há tempo para deter a marcha da insensatez”. Ele também falou sobre medidas necessárias, como a reforma do sistema previdenciário. Para ele, “são medidas que exigem explicação ao povo e tempo para que seus benefícios sejam sentidos”.

FHC termina dizendo que “não é de estagnação econômica, regressão política e social que o Brasil precisa”. E pede uma união de forças para evitar uma “perigosa radicalização”.

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto