Em caso inédito, premiê da Espanha presta depoimento à Justiça sob acusação de caixa 2

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2017 06h55 - Atualizado em 27/07/2017 11h20
EFE/Fernando Alvarado O depoimento que complicou a situação de Rajoy foi o de Luis Bárcenas, ex-tesoureiro do PP, que acusou o premiê de estar na lista de receptores do dinheiro de caixa dois

Pela primeira vez na história um chefe de governo do Espanha teve que prestar esclarecimentos à Justiça.

A história do primeiro-ministro Mariano Rajoy guarda algumas semelhanças com os escândalos recentes da política brasileira.

O conservador foi por muitos anos diretor de campanhas do Partido Popular, que está envolvido em denúncias de prática de caixa dois durante 20 anos.

Em uma audiência televisionada que durou quatro horas, o premiê sustentou uma versão: a de que não mexia com a parte financeira da legenda.

Rajoy disse que só se importava se as contas seriam aprovadas pelo tribunal de contas. Ele sustentou que a responsabilidade dele era política e não de contabilidade.

A audiência que ouviu o primeiro-ministro faz parte de uma investigação que apura repasses supostamente ilegais de uma empreiteira ao Partido Popular. Trinta e sete políticos já foram julgados, alguns deles presos.

O depoimento que complicou a situação de Rajoy foi o de Luis Bárcenas, ex-tesoureiro do PP, que acusou o premiê de estar na lista de receptores do dinheiro de caixa dois.

A oposição pede a saída do primeiro-ministro, que está no poder desde 2011, mas governa com a minoria desde outubro do ano passar, quando conseguiu finalmente romper um impasse político de 10 meses e garantir mais um mandato como chefe de governo da Espanha.

*Informações do repórter Victor LaRegina