Em decisão rara, Trump congela todos os bens do regime Maduro

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2019 08h20
EFEAção visa forçar saída de presidente da Venezuela do poder

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu, na noite desta segunda-feira (5), aplicar sanções econômicas totais contra o regime de Nicolás Maduro. Com a medida, o governo dos EUA bloqueia todos os ativos da Venezuela que estão em território norte-americano e proíbe a realização de negócios com o regime chavista.

A ordem executiva afirma que “todas as propriedades do governo da Venezuela que estão nos Estados Unidos ficam bloqueadas e não podem ser transferidas, pagas, exportadas, retiradas ou de outra forma negociadas”. A ação foi justificada citando a “usurpação” de Maduro do poder e os abusos dos direitos humanos por grupos leais ao chavismo.

De acordo com o Wall Street Journal, esta é primeira vez que a Casa Branca adota uma medida desse tipo contra um governo ocidental em mais de 30 anos.

A ideia de Trump é aumentar a pressão sobre Caracas, que já enfrenta sanções dos Estados Unidos. Até então, Washington vinha impondo restrições contra alguns setores da economia venezuelana, como o petrolífero, que é a fonte da maior parte das receitas de exportação do país. Pessoas ligadas a Maduro, como enteados dele, também já sofriam bloqueio do governo norte-americano.

Agora, a Venezuela fica em situação semelhante a países como Cuba, Coreia do Norte, Irã e Síria.

A sanção total da Casa Branca é mais um capítulo da tentativa de enfraquecer o regime chavista e forçar a saída de Maduro do poder. As únicas entidades não afetadas são organizações internacionais e não-governamentais que transportam bens humanitários, alimentos e remédios.

Em janeiro deste ano, o líder oposicionista, Juan Gauidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela. Desde então, mais de 50 nações, incluindo os Estados Unidos e o Brasil, reconhecem ele como o chefe de governo do país sul-americano.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni