Em despacho, Bretas anuncia afastamento em processos da Operação Rizoma

  • Por Jovem Pan
  • 06/07/2018 06h56 - Atualizado em 06/07/2018 06h57
Fernando Frazão/Agência BrasilO anúncio foi feito por ele mesmo nesta quinta-feira (05) através de um despacho

Depois de ser impedido de julgar um processo envolvendo um empresário que foi preso em um desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro, o juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Estado, Marcelo Bretas, desistiu de atuar nos processos da Operação Rizoma.

O anúncio foi feito por ele mesmo nesta quinta-feira (05) através de um despacho.

Na véspera, o TRF da 2ª Região entendeu que Bretas não poderia ser o juiz responsável por analisar o processo envolvendo o empresário Arthur Pinheiro Machado. Acatando, inclusive, pedido da defesa do empresário.

A defesa disse que o juiz original do processo era outro e não bretas. Por isso ele foi impedido de julgar casos envolvendo Machado. Incomodado, Bretas decidiu declinar da competência de toda a Operação Rizoma, que agora será conduzida por outro magistrado.

Pinheiro Machado foi citado como beneficiário em esquema de corrupção envolvendo fundos de pensão da Petrobras, Correios e do Serpro.

Os fundos contratavam serviços inexistentes, faziam investimentos em empresas cujo retorno era duvidoso, para beneficiar terceiros e pagar propina a intermediários e para a quadrilha liderada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

*Informações do repórter Rodrigo Viga