Em discurso no Fórum de Davos, Zelensky pede que o mundo rompa totalmente o comércio com a Rússia

Presidente da Ucrânia falou por videoconferência e foi aplaudido de pé por quem estava na plateia; Brasil será representado pelos ministros da Economia e da Saúde no evento

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2022 06h46 - Atualizado em 24/05/2022 11h30
UKRAINIAN PRESIDENTIAL PRESS SER zelensky não acredita nas promessas russas Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, discursou na abertura do Fórum Econômico de Davos por videoconferência

Há uma delegação inteira de autoridade ucranianas participando do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, mas foi por vídeoconferência que o presidente Volodymyr Zelensky discursou na abertura do evento. Ele pediu que o mundo rompa totalmente o comércio com a Rússia, se referindo ao fato de que a União Europeia tem dificuldade de cortar relações, principalmente no setor energético, dada a dependência do gás e petróleo russo. Zelensky também pediu mais armas e argumentou que se o país tivesse recebido o equipamento que solicitou em fevereiro, o resultado teria sido de milhares vidas salvas. Ele ainda propôs um protocolo preventivo para quando um país ameaçasse atacar outro, aplicando sanções já neste momento, para o que aconteceu com a Ucrânia não se repita no futuro com outros países. O discurso foi aplaudido de pé por quem estava na plateia.

Por parte do Brasil, a participação no Fórum de Davos fica a cargo dos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Saúde, Marcelo Queiroga. Queiroga, inclusive, já estava na Suíça, participando da Conferência Internacional de Saúde, da Organização Mundial da Saúde (OMS), e falou sobre as ações do governo brasileiro durante a pandemia da Covid-19. Esse também deverá ser o foco dele em Davos. Em uma rede social, Queiroga disse na última segunda-feira, 23, que “o governo brasileiro atuou para preservar vidas, conciliando o equilíbrio econômico e justiça social”. Em outra postagem, Queiroga publicou uma foto com o chefe do departamento federal de assuntos internos suíço, Alain Berset, com quem se encontrou na segunda-feira. “Trocamos experiências sobre ações de resposta à emergência em saúde pública provocada pela Covid-19 e também sobre a cobertura dos sistemas de saúde de nossos países”, disse o ministro.

Paulo Guedes também já começou a agenda na Suíça. Ele se reuniu na última segunda com a ministra da Economia da Ucrânia, Yulia Svyrydenko. No encontro, o ministro reafirmou a condenação das hostilidades e o compromisso do Brasil com a retomada de negociações pacíficas. Uma publicação feita no perfil oficial do Ministério da Economia afirmou que Guedes destacou ainda o papel do Brasil como parceiro internacional, comprometido com os valores de desenvolvimento sustentável e pacífico. Além disso, reafirmou também o compromisso do país em contribuir para a segurança alimentar e energética do planeta.

*Com informações da repórter Carolina Abelin