Em live, Bolsonaro critica conselhos no País; líder diz que Governo irá liberar recursos a prefeituras

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2019 06h46
ReproduçãoNo vídeo, Bolsonaro estava acompanhado do porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, e do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (11) que o Governo vai revogar a maioria dos Conselhos que existem no Brasil. Segundo Bolsonaro, atualmente existem aproximadamente mil organizações deste tipo e a expectativa é que o número seja reduzido para 50 já nas próximas semanas.

“Tem conselho aqui que tem 100 titulares e 100 suplentes. E quando esse pessoal vêm pra Brasília, quem paga é você”, disse.

Ele usou o exemplo de um encontro entre indígenas que está marcado para a semana que vem: “Está sendo previsto aqui 10 mil índios em Brasília. Quem vai pagar a conta dos 10 mil índios que vêm para cá? É você também. Nós queremos o melhor para o índio brasileiro, mas essa farra vai deixar de existir no nosso Governo”.

Na transmissão feita nas redes sociais, o presidente comentou o decreto que proibiu o uso dos termos “Vossa Excelência” e “doutor” nos órgãos federais. Segundo o governo a ideia é “promover a desburocratização no tratamento” e “eliminar barreiras que criam distinção entre agentes públicos no âmbito do Poder Executivo federal”.

No vídeo, Bolsonaro estava acompanhado do porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, e do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo. O parlamentar comentou que “fez gestão” com o advogado-geral da União, André Mendonça, para mudar a interpretação em relação à liberação de emendas individuais dos parlamentares.

Segundo o Major Vitor Hugo, agora, o Governo federal vai liberar esses recursos para prefeituras que estavam impedidas de receber os repasses por causa de dívidas com a União: “isso vai privilegiar parlamentares, permitir que eles continuem brilhando na ponta da linha e ajudando a população a receber benefícios do seu trabalho”.

Bolsonaro ainda comentou o encontro que ele teve na última quarta-feira com aproximadamente 30 embaixadores de países islâmicos. O presidente disse que pretende avançar na melhoria do ambiente de negócios e na amizade com os povos árabes.

*Informações do repórter Afonso Marangoni