Em meio à crise no setor editorial, autores, lojas e editoras tentam se reinventar

Foi o quinto ano seguido de diminuição do setor editorial

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2019 08h26 - Atualizado em 13/05/2019 08h26
Reprodução/Facebook O presidente da Câmara Brasileira do Livro, Vitor Tavares, explicou que a crise geral na economia do país é um dos principais fatores que levou à diminuição do mercado de livros

Em 2018, o setor editorial brasileiro apresentou uma queda real de 4,5%. Foi o quinto ano seguido de diminuição do setor. É o que mostra a pesquisa produção e vendas do setor editorial brasileiro, feita pela Fipe em parceria com a Câmara Brasileira do Livro e o Sindicato Nacional das Editoras de Livros.

O presidente da Câmara Brasileira do Livro, Vitor Tavares, explicou que a crise geral na economia do país é um dos principais fatores que levou à diminuição do mercado de livros.

No ano passado, a Saraiva e a Livraria Cultura pediram recuperação judicial. A pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro mostra que, no ano passado, o faturamento das editoras graças às vendas nas livrarias caiu 20,8% em relação a 2017.

Mas enquanto a venda dos livros cai, o número de leitores cresce, mesmo que pouco. A pesquisa Retratos da Leitura no Brasil mostra que, em 2015, 56% dos brasileiros leram pelo menos um livro nos últimos três meses, um crescimento de 6% em relação a 2011.

Em meio à crise, o escritor carioca e autor de quatro livros publicados Vinícius Grossos, de 26 anos, descobriu que, ao contrário do que muita gente pensa, a internet pode ser uma grande aliada da leitura.

Vitor Tavares acredita que é preciso incentivar a venda de livros pela internet e a abertura de novas livrarias.

Um levantamento do IBGE divulgado em 2015 mostrou que, em 2014, só 27% dos municípios brasileiros tinham livrarias. Por outro lado, 97% dos municípios tinham bibliotecas públicas.

*Informações da repórter Mariana Janjácomo