Em novo golpe, bandidos enganam foliões com venda de fantasias que não são entregues

  • Por Jovem Pan
  • 18/02/2020 06h20
Fernando Maia/RioturDelegado Nico deu dicas para um Carnaval mais seguro

Criminosos estão aproveitando o Carnaval para aplicar um novo golpe, com a venda de fantasias que não são entregues. Em entrevista ao Pânico, nesta segunda-feira, o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, diretor do DOPE, o Departamento de Operações Policiais Estratégicas da Polícia Civil de São Paulo, explicou como funciona o esquema.

“Você sabe que pode ter de 150 a 200 pessoas por ala e vendem até 800 fantasias, paga pela internet, chega na hora , não tem a fantasia e quer desfilar e entrou no conto. Precisa ter a certeza de que quem está vendendo tem vínculo com a escola de samba. Vai acabar tomando uma canseira no dia.

Quanto aos furtos de celulares, a dica do delegado aos foliões é atenção: “Eu sou a favor de que vá com o celular, não deixar no bolso de trás, mas sempre com cuidado, deixar na parte da frente, sem exibir dinheiro.”

Já o Coronel José Vicente da Silva Filho, ex-secretário Nacional de Segurança Pública, recomenda discrição: “Se puder ir em grupo, sempre ajuda, os bandidos ficam de olho em quem é alvo mais fácil, está sozinho. Tomar cuidado também com álcool e drogas.”

O Coronel ressalta a atuação das polícias em São Paulo no final de semana do pré-Carnaval foi boa e que o número de ocorrências foi pequeno. “O trabalho vem sendo bem feito, foram presos mais de 400 bandidos. A polícia nunca se esmerou tanto para ter esses dois mirrados casos, raramente é reconhecido.”

A entrevista completa com o delegado Osvaldo Nico Gonçalves e com o Coronel José Vicente da Silva Filho você encontra no canal do Pânico no YouTube.

*Com informações do repórter Vitor Brown