Em parceria com a CBF, São Paulo terá projeto social com foco no futebol

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2019 08h41
Newton Menezes/Estadão Conteúdo240 crianças e adolescentes serão beneficiados com projeto piloto

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e o secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Walter Feldman, firmaram, nesta segunda-feira (7) uma parceria que prevê a criação de um projeto inclusão social de jovens por meio do futebol. Intitulada “Gol do Brasil”, a iniciativa tem como objetivo, segundo a Prefeitura, “formar crianças e adolescentes para a vida, utilizando o futebol como ferramenta para promover a educação, saúde e cidadania”.

Em entrevista coletiva, Covas disse que o projeto piloto será realizado no Centro Esportivo Vila Manchester, na Vila Carrão, Zona Leste da cidade, e vai beneficiar 240 alunos e jovens com idade entre sete e 17 anos matriculados escolas públicas –  requisito obrigatórios para a participação.

“Estive recentemente na sede da CBF, junto com o secretário de Esportes do município, Carlos Bezerra, conhecendo o projeto e solicitando para que a gente pudesse trazer o projeto para a cidade. A CBF aceitou o convite e agora a gente assina esse protocolo entre eles e a Prefeitura para que a gente possa ter essa ação, que já era desenvolvida em outras cidades, agora aqui em São Paulo”, explicou.

Entre os alunos selecionados, serão 120 meninos e 120 meninas, formando seis turmas com 40 alunos cada. Todos irão receber uniforme e alimentação.

Segundo Feldman, o programa já está sendo implementado em diversas localidades do país. “Está vinculado ao legado da Copa do Mundo de 2014, nós temos já duas unidades aqui no Estado de São Paulo, em Barueri e em Ribeirão Pires, nós estamos implantando as primeiras em Belém do Pará, no Maranhão, no Amapá, Ceará. A ideia é fazer um programa social relevante com as habilidades de vida, que são as recomendações da ONU e da OMS, para ensinar as crianças, além do futebol, cidadania. Melhorar a educação e transformar o brasileiro, através do futebol, em uma pessoa mais completa.”

Atualmente, quase 3 mil crianças e adolescentes praticam futebol nos centros esportivos da Prefeitura de São Paulo.

 

*Com informações do repórter Victor Moraes