Em raro discurso, Rainha Elizabeth II ressalta união e resiliência no combate ao coronavírus

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 06/04/2020 08h16
EFEO Reino Unido entra na sua segunda semana de confinamento e os analistas insistem que a medida está funcionando

Os britânicos foram avisados na noite de o domingo (5) que o primeiro-ministro, Boris Johnson, ainda não se recuperou da covid-19. Ainda que o tom do anúncio tenha sido sereno, tranquilizador, para não alarmar ainda mais a população, o fato é que Johnson está internado.

Dez dias depois de ter testado positivo para o novo coronavírus, o primeiro-ministro britânico ainda apresenta sintomas relevantes. De acordo com as informações oficiais, ele ainda estava com febre e por isso foi levado a um hospital de Londres para realizar novos exames.

Johnson passou a noite internado e ainda não está claro quanto tempo mais ele terá que ficar afastado. O secretário do Exterior, Dominic Raab, vai comandar uma reunião de governo nesta segunda-feira (6) para discutir as ações de combate ao coronavírus.

O fato é que Boris Johnson representa muito neste momento e a ausência dele é uma baixa extremamente relevante para a confiança pública. Mais simbólico ainda é o fato de que a notícia da internação dele foi dada pouco depois um pronunciamento extraordinário da rainha Elizabeth II.

A monarca discursou em cadeia de rádio e televisão apenas pela 5ª vez em seus 68 anos de reinado. Normalmente ela se manifesta para todo o reino apenas na tradicional mensagem de natal.

Elizabeth II fez um discurso comovente ressaltando a união e a resiliência do povo britânico nos tempos de calamidade.  Ela disse: “Juntos, estamos enfrentando esta doença e quero garantir que, se permanecermos unidos e resolutos, vamos superá-la. Espero que nos próximos anos todos se orgulhem de como responderam a esse desafio. E aqueles que vierem depois de nós dirão que os britânicos desta geração eram tão fortes quanto as gerações passadas.”

O Reino Unido entra na sua segunda semana de confinamento e os analistas insistem que a medida está funcionando. Tanto em terras britânicas, como na Espanha e na Itália, e que já começaram a ver uma queda encorajadora nos números de mortos e contaminados, ainda que eles continuem bastante altos.

Os modelos da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres indicam que as medidas de quarentena e distanciamento tropical reduziram em 75% a capacidade do coronavírus de se espalhar na sociedade.

Por isso aqui na Europa a importância do confinamento não é questionada — pelo contrário, a população sabe que muito provavelmente ainda teremos muitas semanas com restrições de circulação pela frente.