Em reconstituição da morte do marido, Flordelis demonstra contradições

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2019 10h09
Fernando Frazão/Agência BrasilFilhos da deputada também foram intimados a comparecer no processo, mas se recusaram a ir

deputada federal Flordelis (PSD-RJ) apresentou algumas contradições durante a reconstituição do assassinato do seu marido, o pastor Anderson do Carmo, realizada pela polícia do Rio de Janeiro. A chamada “reprodução simulada” aconteceu entre a noite de sábado (21) e a madrugada deste último domingo (22) na casa da família em Niterói.

Foram quase seis horas de trabalho. Entre os fatos que chamaram a atenção dos investigadores que participaram do processo, estão as versões distintas e contraditórias da deputada, além das vezes em que disse não se recordar do que aconteceu.

Os dois acusados de participação direta no crime, que já foram denunciados e estão presos, um filho biológico de Flordelis e um filho adotivo do casal, também foram intimados a participar da reconstituição, mas se recusaram a ir. Flávio dos Santos teria sido o responsável pelos disparos que mataram o pastor, enquanto Lucas dos Santos teria comprado a arma utilizada no crime.

A polícia do Rio espera, após a reprodução, conseguir avançar nas investigações, mas quer descobrir, principalmente, quem arquitetou o assassinato. A família de Anderson rompeu relações com a deputada, e já chegou a dizer que ela tinha interesse ou conhecimento de um plano para executá-lo.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga