Em SP, Justiça do Trabalho começa a utilizar o WhatsApp para serviços de conciliação

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2017 08h49 - Atualizado em 25/08/2017 12h14
São Paulo- SP- Brasil- 17/12/2015- Por decisão judicial, as operadoras de telefonia móvel foram obrigadas a bloquear pelo período de 48 horas, em todo o Brasil, o aplicativo de troca de mensagens Whatsapp. A medida foi determinada pela 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo (SP), na tarde de ontem (16/12) e está sendo cumprida desde a 00:00 desta quinta-feira (17/12). Foto: Allan White/ Fotos PúblicasAs conciliações via WhatsApp são opcionais, e as partes é que precisam pedir, pelo telefone, o procedimento

Tem o grupo da família, grupo do pessoal do trabalho, dos amigos do futebol e por que não um grupo no WhatsApp para resolver uma questão trabalhista? Se você mora em São Paulo ou na Baixada Santista isso já é possível.

Isto porque agora o serviço de conciliação aqui pode ser feito desta forma. “Quem participará desse grupo de discussão? O advogado de ambas as partes e um conciliador”, disse a desembargadora Cândida Alves Leão, que coordena o Núcleo de conciliação na segunda região do Tribunal Regional do Trabalho.

Ela contou que a ideia surgiu também por causa do elevado índice de faltas nestas audiências de mediação.

Só no ano passado no Núcleo em que ela atua para cada 100 conciliações marcadas, 32 deixavam de ocorrer porque uma das partes simplesmente não aparecia.

Com o uso do WhatsApp agora tudo é negociado no celular e só é preciso ir ao tribunal para uma audiência presencial, uma vez – quando o acordo for fechado.

Em Brasília, a juíza do trabalho Tamara Gil Kemp adotou esta prática em 2015. De lá para cá ela percebeu maior agilidade nos processos.

Mas, Tamara fez um alerta: a novidade precisa ser estimulada pelo tribunal e pelos advogados para que os trabalhadores e empregadores conheçam o mecanismo.

Senão, a procura é pequena e a burocracia continua a mesma.

As conciliações via WhatsApp são opcionais, e as partes é que precisam pedir, pelo telefone, o procedimento. E, se as partes preferirem continuar no sistema presencial, tudo bem.

Para quem quiser adotar o novo modelo, o telefone em São Paulo é: (11) 99729-6332.

*Informações da repórter Helen Braun