Em última cartada, May diz que renunciará ao cargo se acordo do Brexit for aprovado pelo parlamento

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 28/03/2019 09h47
EFEAlguns parlamentares defensores fervorosos do Brexit já começaram a mudar de lado e agora dizem que vão apoiar o acordo de Theresa May

Encurralada, Theresa May deu nesta quarta-feira (27) sua última cartada tentando não entrar para a história como um fracasso retumbante. A primeira-ministra britânica anunciou que irá renunciar ao cargo se o acordo firmado por ela com a União Europeia for aprovado pelo parlamento.

A Câmara dos Comuns deve levar o texto de May à votação pela terceira vez na sexta-feira – nas outras duas ele foi massacrado. Mas a situação atual é dramática para os britânicos. O país deveria se desfiliar da União Europeia já nesta sexta (29).

O prazo, no entanto, foi prorrogado. Se o acordo passar no parlamento o país terá até 22 de maio para concretizar o Brexit. A partir disso começará a segunda fase do divórcio quando serão discutidos os acordos comerciais e a relação entre os dois lados do Canal da Mancha.

Muitos analistas por aqui afirmam que essa fase será ainda mais dura, por isso a troca no comando do país parece inevitável. May reconheceu isso e declarou que prefere deixar o cargo antes que o planejado para proteger os interesses britânicos.

Alguns parlamentares defensores fervorosos do Brexit já começaram a mudar de lado e agora dizem que vão apoiar o acordo de Theresa May. Até porque há uma sensação de que é isso ou o país nunca irá sair da União Europeia.

Ontem também a Câmara dos Comuns votou oito propostas alternativas para o Brexit, incluindo um segundo referendo. Todas foram rechaçadas. Ficou a sensação de que os britânicos não sabem direito o que querem. Vão sair da União Europeia agora porque voltar atrás seria ainda mais traumático. Mas ninguém tem certeza de que esse será o melhor caminho.