Em última dia de visita à Venezuela, Bachelet se encontra com Maduro e Guaidó

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2019 11h26
EFEA visita de Bachelet expõe a relevância da crise no país e reconhece a emergência de auxílio humanitário

No último dia da visita de Michelle Bachellet à Venezuela, a chefe do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, se encontrou com o ditador Nicolás Maduro. A reunião aconteceu no Palácio de Miraflores para discutir a crise política e econômica pela qual o país vem passando nos últimos anos.

Nicolas Maduro afirmou que o encontro com Bachelet foi o primeiro passo para aproximação entre o governo venezuelano e a sociedade. O chavista também reiterou que essa proximidade entre estado e população deve ser baseada na cooperação e nos direitos humanos.

Antes do encontro de Bachellet com o chavista, cerca de 300 manifestantes protestaram em frente a sede na ONU em Caracas para chamar a atenção de Bachelet sobre os problemas do país.

A população presente pedia a libertação dos presos políticos e o fim da ditadura de Nicolás Maduro. Alguns militantes levantaram carrinhos de bebê como forma de apelo para a falta de assistência médica às crianças.

Michelle Bachelet também se encontrou nesta sexta-feira (21) com o autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. O líder da oposição afirmou que durante a conversa, Bachelet se comprometeu em trabalhar para a libertação dos presos políticos na Venezuela.

Michelle Bachelet afirmou que o objetivo da viagem à Venezuela era abrir espaço para aproximar as relações entre autoridades e população. Segundo a representante do Alto Comissariado da ONU, foi firmado um acordo com o governo para estabelecer uma equipe de assistência à população e monitoramento dos direitos humanos no país.

Para Juan Guaidó, a visita de Bachelet expõe a relevância da crise no país e reconhece a emergência de auxílio humanitário. De acordo com a ONU, 4 milhões de pessoas já emigraram da Venezuela desde 2015 e cerca de 7 milhões necessitam de ajuda humanitária.

*Com informações da repórter Camila Yunes