“Emenda Lula” é alvo de críticas de parlamentares: “para blindar criminosos”

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2017 06h15

Rubens Bueno pede pressão da população para renúncia de Dilma

Para o deputado Rubens Bueno (PPS), a proposta busca blindar criminosos: “é lamentável. Em vez da democracia é para blindar criminosos”

Uma proposta do relator da Reforma Política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT), vem causando alarde. No relatório entregue na comissão que discute o tema, foi incluído um artigo que impede que candidatos sejam presos até oito meses antes da eleição.

O político pediria um certificado para a Justiça Eleitoral entre os dias 01 e 28 de fevereiro. Concedido esse documento, ele não poderia ser preso daquele momento até dois dias depois das eleições.

O artigo vem sendo chamado de “emenda Lula”, pois beneficiaria o ex-presidente, condenado pelo juiz Sérgio Moro. Ele deve ser julgado até o ano que vem em segunda instância e, se a sentença for confirmada, fica impedido de ser candidato.

O relator se defendeu, dizendo que o Brasil vive um momento anormal, de muita judicialização da política e de uma política policialesca.

A emenda repercutiu mal entre opositores do petista. Para o deputado Rubens Bueno (PPS), a proposta busca blindar criminosos: “é lamentável. Em vez da democracia é para blindar criminosos”.

A senadora Ana Amélia (PP) disse no Twitter que é uma manobra inaceitável e provocadora para livrar Lula e outros políticos da prisão. Já no meio jurídico, o ex-juiz estadual Marlon Reis, mentor da Lei da Ficha Limpa, afirmou que a proposta é injustificável. O relatório da Reforma Política deve ser votado no início de agosto pela comissão.

*Informações do repórter Levy Guimarães