Emigração passa a preocupar países europeus, aponta pesquisa de instituto britânico

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 01/04/2019 09h36
ReproduçãoPortugal e Grécia, por exemplo, tem experimentado um declínio em suas populações nos últimos anos

Foi por causa da imigração que parte considerável dos britânicos votou a favor do Brexit. E é em cima desta questão que o nacionalismo vem se espalhando pela Europa e ameaça tomar conta do parlamento do bloco nas eleições de maio.

Mas uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (1º) revela que nem todo o continente está preocupado com o número de pessoas chegando. Para alguns países, o problema é o inverso: o número de cidadãos saindo ao mesmo tempo em que as taxas de natalidade seguem baixas.

Uma pesquisa do instituto britânico YouGov revela que em países como Espanha, Itália, Grécia, Polônia, Hungria e Romênia, a maioria da população está mais preocupada mesmo com os efeitos da emigração. São países que ainda sofrem com os efeitos da crise financeira de 2008 e que veem sua mão de obra jovem e qualificada deixando o país de origem em busca de oportunidades onde há emprego, como na Inglaterra, ou na Alemanha.

Portugal e Grécia, por exemplo, tem experimentado um declínio em suas populações nos últimos anos. Na Romênia, o número de habitantes caiu 10% na última década graças principalmente ao êxodo de jovens que procuram emprego no Oeste e Norte do continente.

A mesma pesquisa revela que na Espanha, Grécia e Itália a maioria da população defende inclusive a criação de regras que impeçam seus cidadãos de ficarem longe do país por muito tempo.

A pesquisa foi realizada para identificar os principais temas que preocupam os eleitores às vésperas da eleição para o parlamento europeu. E também trouxe resultados surpreendentes em temas como aquecimento global, onde a maioria do bloco diz que o meio ambiente deveria ser uma prioridade mesmo que isso prejudique o crescimento econômico.

Se os números estiverem corretos, talvez haja esperança para os políticos pró-Europa, que insistem em pautas ditas progressistas em um momento que o nacionalismo parece se espalhar pela região. Dentro de algumas semanas iremos descobrir exatamente em que pé andam as coisas na Europa.