Emissão de gases precisa cair para o mundo ‘evitar desastre’, alerta ONU

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2019 07h02 - Atualizado em 27/11/2019 07h26
Agência Brasil/ArquivoTemperaturas mais altas que 1,5º C aumentam a frequência e intensidade de eventos climáticos como ondas de calor e tempestades

Os acordos globais que visam reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera não são suficientes para evitar um desastre climático. Essa é a conclusão do Pnuma, Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, em um novo relatório lançado pela ONU nesta terça-feira (26).

O estudo aponta que a emissão de gases causadores do efeito estufa precisa diminuir mais de 7% ao ano no período entre 2020 e 2030

Com isso, seria possível limitar o aumento na temperatura média global a 1,5º C.

Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, temperaturas mais altas que 1,5º C aumentam a frequência e intensidade de eventos climáticos como ondas de calor e tempestades.

Katia Simeonova, responsável pelo levantamento de dados do relatório, afirmou que uma mudança de postura global não vai acontecer apenas com ações governamentais. Para ela, essa mudança só vai existir com o engajamento de todos setores da sociedade.

Nesta terça, num evento em Brasília, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ressaltou os esforços do Brasil no combate ao aquecimento global.

O ministro não chegou a comentar o relatório da ONU, mas disse que 45% da matriz elétrica brasileira é proveniente de fontes limpas, enquanto a média mundial é de 14%.

Com esse cenário, Albuquerque afirmou que o Brasil segue alinhado aos compromissos estabelecidos pelo Acordo de Paris. Porém, ainda segundo a ONU, mesmo que todas as metas do Acordo de Paris sejam alcançadas pelos países integrantes, o mundo caminha para um aumento na temperatura global

Ela chegaria a 3,2º C – o que traria uma série de impactos climáticos

*Com informações do repórter Leonardo Martins