Empresa francesa será cobrada por queda de placa que paralisou metrô

  • Por Jovem Pan
  • 26/07/2018 09h51
ReproduçãoSete homens foram mobilizados para retirar a placa, o que demorou 50 minutos na quarta de manhã

O secretário estadual dos transportes metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, informou nesta quinta-feira (26) que 0 Metrô de São Paulo vai cobrar a empresa de publicidade JCDecaux, responsável pela instalação do painel que se abriu na estação Vergueiro, foi atingido por um trem e paralisou trecho da linha 1-Azul durante o horário de pico desta quarta (25).

O equipamento havia sido instalado em 29 de junho, há menos de um mês, pela empresa francesa para exploração comercial. “O metrô fez a vistoria em todas as placas que foram instaladas. A empresa foi notificada da ocorrência na estação Vergueiro, que fica no meio da linha 1 e fez parar a operação por 50 minutos. Nós vamos cobrar da empresa os prejuízos que nós tivemos. O prejuízo para o usuário a gente não consegue ressarcir, mas nós vamos cobrar a empresa”, declarou o secretário em entrevista exclusiva à Jovem Pan.

A JCDecaux fechou contrato, após licitação internacional no final do ano passado, para explorar por 10 anos a publicidade em 52 das 61 estações das três principais linhas do metrô (linha 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha). Ela deverá R$ 375 milhões para vender propagandas nesta década. Segundo o dado mais recente (junho) do Metrô, apenas as três linhas transportam 3,5 milhões de passageiros por dia útil.

Segundo Pelissioni, a receita anual do Metrô com as novas placas vai passar “de R$ 20 mi para R$ 40 milhões”. O secretário disse que “as placas são instaladas sempre levando em consideração a questão da segurança”.

Pelissioni alegou que a demora para a retirada das placas da linha do trem ocorreu porque elas pesam 500 kg. Ontem, o diretor de Operações do Metrô de São Paulo, Milton Gioia, disse também à Jovem Pan que sete funcionários foram mobilizados para retirar os painéis e restabelecer a circulação dos trens, que foram desenergizados.

As estações Liberdade, São Joaquim, Vergueiro e Paraíso ficaram fechadas e o sistema Paese foi ativado por aproximadamente uma hora e meia (das 8h04 às 9h30). Em razão da falha na linha 1-Azul, as linhas 2-Verde e 3-Vermelha – que se conectam ao ramal – tiveram a velocidade reduzida.

O Metrô investiga por meio das câmeras de segurança o que provocou a abertura de uma das tampas que cobrem a placa de propaganda. Pelissioni “prefere não acreditar” que possa ter sido sabotagem.

O momento do choque do trem com a placa que se abriu foi registrado por internautas. Apesar do susto, não houve feridos. Assista:

Modernização e problemas frequentes

O secretário negou que haja problemas estruturais que causam paralisações frequentes no metrô paulista e citou projetos de modernização das linhas mais antigas (1, 2 e 3), como a colocação de portas automáticas de proteção nas plataformas. “O metro está concluindo a reforma nos trens”, disse ainda Pelissioni, com ar-condicionado, novos bancos e nova motorização.

Ouça a entrevista completa com Clodoaldo Pelissioni:

Veja problemas enfrentados pelos usuários com a paralisação: