Empresa do interior de SP é escolhida pela Nasa para desenvolver respirador

  • Por Jovem Pan
  • 22/06/2020 06h37 - Atualizado em 22/06/2020 09h28
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoChamado de “Vital”, abreviação em inglês para Tecnologia de Intervenção do Respirador Acessível Localmente, o novo equipamento é específico para o tratamento da Covid-19

A pandemia do coronavírus escancarou a falta de estrutura médica e a escassez de equipamentos essenciais para lidar com uma crise de tamanha proporção.  Os respiradores, essenciais para o tratamento de pacientes graves da Covid-19, são alguns deles. Para responder à demanda, engenheiros da Nasa desenvolveram um respirador mecânico que poderá ser reproduzido em todo o mundo, inclusive no Brasil.

A Russer, especializada em urologia no interior de São Paulo, foi uma das três instituições brasileiras autorizadas a desenvolver o projeto no país. Para o fundador da empresa, Juan Ruben Oliarte, é um privilégio fazer parte da iniciativa.

Chamado de “Vital”, abreviação em inglês para Tecnologia de Intervenção do Respirador Acessível Localmente, o novo equipamento é específico para o tratamento da Covid-19. Isso faz com que o aparelho não tenha tantas funcionalidades e possa ser construído de forma mais simples e rápida, diferentemente do respirador tradicional.

Segundo o engenheiro clínico da Russer, Estevão Willians, o projeto desenvolvido pela Nasa é um grande avanço que veio para somar neste momento de pandemia. Para atingir a meta de produção de mil respiradores por mês, a Russer pretende fazer parcerias com montadoras de carros e autopeças. A empresa acredita que o primeiro protótipo deve ficar pronto em duas semanas.

*Com informações da repórter Letícia Santini