Empresário se entrega após não prestar socorro a mulher que morreu na Marginal Pinheiros

Rodrigo Gaspi abandonou o carro e fugiu do local sem prestar socorro a vítima

  • Por Jovem Pan
  • 20/05/2019 09h26
Reprodução/YoutubeComo Rodrigo Gaspi fugiu, prejudicou o chamado estado de “flagrância” do crime

Um dia após morte de massoterapeuta na Marginal Pinheiros, em São Paulo, empresário que dirigia em alta velocidade e omitiu socorro se entregou a Polícia. Rodrigo Gaspi, de 32 anos, compareceu nesta sexta-feira (17) ao 34º DP, na Vila Sônia, zona oeste da capital.

Na madrugada da última quinta-feira (16), Fernanda Bandieri, de 41 anos, voltava para casa depois de se reunir com amigos, quando o carro em que ela estava foi atingido na traseira. O limite da via é de 90 quilômetros por hora, e, segundo o irmão de Fernanda, Luciano Bandieri, o empresário estava muito acima do permitido.

Rodrigo Gaspi abandonou o carro e fugiu do local sem prestar socorro a vítima. A massoterapeuta chegou a ser levada para o Hospital das Clínicas, mas não resistiu aos ferimentos.

Para o advogado da família de Fernanda, Antônio Renato de Lima e Silva Filho, o empresário Rodrigo Gaspi saiu do local do acidente com a intenção de fugir do flagrante. Segundo o advogado, se o empresário ficasse no local poderia ser preso em flagrante delito e responderia por homicídio culposo.

Como Rodrigo Gaspi fugiu, prejudicou o chamado estado de “flagrância” do crime, o que possibilitou a ele se apresentar e depois voltar para casa e responder o processo em liberdade. O advogado também disse que o caso não pode cair no esquecimento.

O advogado Antonio Renato de Lima e Silva Filho conta que, na delegacia, Rodrigo Gaspi alegou ter dormido ao volante.

O carro de Rodrigo Gaspi estava em nome da empresa pertencente à família dele, que é proprietária de uma rede de lojas de calçados. Após o fato, o empresário removeu os perfis dele nas redes sociais.

*Informações do repórter Afonso Marangoni