Empresário vai custear reforma de estátua de Borba Gato, diz Ricardo Nunes

Valor da doação também não foi revelado, já que a Prefeitura ainda aguarda um laudo do Departamento do Patrimônio Histórico sobre o material

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2021 10h23 - Atualizado em 27/07/2021 17h02
FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDOMonumento, uma homenagem ao bandeirante, foi incendiado no último sábado por manifestantes

A estátua do Borba Gato, localizada na Zona Sul da cidade de São Paulo, será restaurada. De acordo com o prefeito da capital, Ricardo Nunes, um empresário vai arcar com os custos da restauração. “A estátua será restaurada e já temos um empresário que se propôs a doar o valor necessário. Não vou dizer quem é para não fazer propaganda da pessoa”, disse. O valor da doação também não foi revelado, já que a Prefeitura ainda aguarda um laudo do Departamento do Patrimônio Histórico sobre o material. O monumento, uma homenagem ao bandeirante, foi incendiado no último sábado por manifestantes. Eles desceram de um caminhão, espalharam pneus pela via e nos arredores da estátua e atearam fogo no local; onde também estenderam uma faixa que dizia “Revolução periférica – a favela vai descer e não vai ser carnaval”.

Durante coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 26, Ricardo Nunes lamentou o episódio. “Classificamos como lamentável, um ato de vandalismo. Não é fazendo atos de vandalismo que você vai poder discutir questões, mesmo que seja alguma dívida do passado. É preciso ter bastante tranquilidade, respeitar a democracia, tolerância”, disse. No último domingo, a Polícia Civil localizou o caminhão utilizado pelo grupo na ação e prendeu o motorista, que agora está em liberdade provisória. Essa não é a primeira vez que a estátua de Borba Gato é alvo de manifestações: em 2016, foi atacada com um banho de tinta. Na época, a mesma intervenção foi feita no Monumento às Bandeiras, no Parque do Ibirapuera, também na capital paulista. Ataques a figuras históricas ligadas à escravidão tem acontecido em vários países.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini