Engenheiros que atestaram segurança de barragem são alvos de mandados de prisão

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2019 06h49
EFEOs mandados foram expedidos pela Justiça Estadual de Minas Gerais

O Ministério Público de São Paulo e a Polícia Civil cumpriram na manhã desta terça-feira (29) dois mandados de prisão contra engenheiros que prestavam serviço para a Vale e que atestaram a segurança da barragem 1 da Mina do Feijão, em Brumadinho, que rompeu na última sexta-feira (25). Em Minas foram cumpridos outros três mandados de prisão contra funcionários da Vale.

Foram presos os engenheiros Makoto Namba e André Yassuda, da empresa TÜV SÜD, em São Paulo. Eles foram levados à sede da Polícia Civil e serão encaminhados para Minas Gerais. Os mandados judiciais são de prisão temporária, com validade de 30 dias, e foram expedidas neste domingo (27) pela Justiça.

Os outros três mandados de prisão cumpridos em MG foram contra Cesar Augusto Paulino Grandchamp, geólogo da Vale; Ricardo de Oliveira, gerente de Meio Ambiente Corredor Sudeste da Vale; e Rodrigo Artur Gomes de Melo, gerente-executivo do Complexo Paraopeba da Vale.

Os últimos dados divulgados pela Defesa Civil apontam que subiu para 65 o número de mortes confirmadas em decorrência do rompimento de barragem em Brumadinho, em Minas Gerais. Destas mortes, foram identificados 31 corpos, de acordo com o Instituto Médico Legal. Agora, 279 pessoas continuam desaparecidas e 192 foram resgatadas, segundo dados do Corpo de Bombeiros.

As ações desta terça foram coordenadas por promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP de São Paulo) e pelo Decade (Departamento de Capturas da Polícia Civil paulista).

A Polícia Federal em São Paulo também participou da ação de hoje e cumpriu dois mandados de busca e apreensão em empresas que prestaram serviços para a mineradora Vale. A investigação apura se os documentos feitos por empresas contratadas pela Vale e que atestavam a segurança da barragem em Brumadinho foram fraudados.

De acordo com os investigadores, os engenheiros presos em São Paulo participaram de forma direta e atestaram a segurança da barragem número 1 da Mina do Feijão, que se rompeu na última sexta-feira (25).

O delegado da Polícia Civil paulista, Osvaldo Nico Gonçalves, afirmou, com exclusividade à Jovem Pan que a operação foi bem-sucedida e todos os alvos de mandados foram cumpridos. “Tudo o que planejamos antes deu certo hoje”, disse. Segundo ele, os engenheiros detidos em SP não resistiram ao cumprimento do mandado de prisão temporária.