Entidades religiosas e da sociedade civil lançam campanha pela ética e contra a corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2017 07h07
Nelson Jr./ ASICS/ TSEO presidente da seção paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos da Costa, falou da necessidade de se fiscalizar de perto os políticos

Entidades religiosas e da sociedade civil pedem engajamento dos cidadãos na política. 110 organizações lançaram neste sábado (09) um manifesto pela ética e contra a corrupção.

Em evento na catedral da Sé, os signatários ressaltaram que esses princípios devem ser seguidos cotidianamente.

O presidente da seção paulista da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcos da Costa, falou da necessidade de se fiscalizar de perto os políticos: “buscar na ética um referencial para escolha daqueles que serão nossos representantes”.

O ato foi organizado pela OAB e pela Cúria Metropolitana de São Paulo.

O diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, Luciano Caparroz, lembrou dos danos causados por desvios de dinheiro público: “esses recursos desviados vão muito além da mera corrupção. Eles provocam a brutal desigualdade no nosso País”.

O ato ecumênico reuniu representantes das fés cristã, judaica, islâmica, afro-brasileira, budista e indígena.

O cardeal-arcebispo de São Paulo, Odilo Pedro Scherer, disse que o respeito à ética independe de crença: “creiamos ou não creiamos, somos todos chamados a agir de modo responsável e correto no nosso agir comum, comunitário, social e pessoal”.

As entidades escolheram o dia nove de dezembro para o lançamento do manifesto porque este é o dia internacional de combate à corrupção.

A data é observada pelos países-membros das Nações Unidas desde 2003.

*Informações do repórter Tiago Muniz