Entregadores de aplicativos fazem manifestação contra regulamentação em SP

Os manifestantes temem que, com as obrigações, mais de 272 mil trabalhadores fiquem desempregados em plena pandemia da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2020 06h26 - Atualizado em 23/09/2020 08h07
GABRIEL BASTOS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDODe acordo com os projetos, o custo da readequação ficaria em torno de R$ 1700, entre taxas e equipamentos

Entregadores de aplicativos fizeram uma manifestação pelas ruas de São Paulo na terça-feira, 22. Os participantes percorreram diversas ruas da cidade até chegarem no prédio da Câmara Municipal, na região central da capital paulista, onde tramitam dois projetos de lei que regulamentam o transporte por aplicativo na região. O ato organizado pelos próprios motoboys, contou com o apoio de um caminhão de som durante todo o percurso. Os motofretistas levaram faixas e cartazes protestando contra as medidas que preveem obrigações como o cadastro na prefeitura e o uso da placa vermelha nas motocicletas. Os manifestantes temem que, com as obrigações, mais de 272 mil trabalhadores fiquem desempregados em plena pandemia da Covid-19. Segundo dados do Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e Mototaxista Intermunicipal do Estado de São Paulo (SindimotoSP), dos mais de 280 mil entregadores na grande São Paulo, apenas 8,5 mil motoboys possuem o cadastro ativo na prefeitura. E somente seis mil motocicletas têm a placa vermelha. De acordo com os projetos, o custo da readequação ficaria em torno de R$ 1700, entre taxas e equipamentos.

*Com informações da repórter Hanna Beltrão