Equipamentos que fizeram gravações no caso em que Beto Richa foi preso devem ser entregues à Justiça

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2018 05h56
ANPROs aparelhos devem passar por uma perícia no decorrer do processo criminal

Os equipamentos que fizeram gravações no caso em que o ex-governador do Paraná Beto Richa, do PSDB, foi preso devem ser entregues à Justiça em até 24 horas. Esta é a determinação do juiz Fernando Fischer, que acatou pedido da defesa do irmão do tucano Pepe Richa, que também foi preso na Operação Rádio Patrulha.

Os aparelhos devem passar por uma perícia no decorrer do processo criminal.

Também nesta segunda-feira (17), o empresário Joel Malucelli se apresentou ao Ministério Público do Paraná para prestar depoimento no âmbito da Operação. Ele foi o último a se entregar no caso que prendeu, na semana passada, o ex-governador Beto Richa e mais 15 pessoas.

O Gaeco, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público do Paraná, apura irregularidades nos contratos do programa Patrulha do Campo, responsável pela manutenção de estradas rurais no Estado.

Na sexta-feira (14) eles foram soltos por determinação do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal.

O procurador de Justiça e coordenador estadual do Gaeco, Leonir Batisti, afirmou nesta segunda-feira que o empresário Joel Malucelli negou ter pagado propina.

O procurador Leonir Batisti disse que o próximo passo é a conclusão da denúncia que será entregue à Justiça. Ele também afirmou que vai recorrer da soltura dos investigados determinada pelo ministro do STF Gilmar Mendes.

A defesa de Joel Malucelli informou que o empresário estava de férias fora do país e que por isso não havia se entregado a Justiça.

*Informações do repórter Afonso Marangoni