No Senado, Ernesto Araújo nega alinhamento com EUA por apoio a plano de paz na Palestina

  • Por Jovem Pan
  • 06/03/2020 06h53 - Atualizado em 06/03/2020 08h13
EFE/EPA/PETE MAROVICHO ministro também disse que em 2020 o Brasil pretende continuar atuando para livrar a Venezuela do regime de Nicolás Maduro

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, negou que o apoio do Brasil ao plano de paz americano para Israel e Palestina signifique alinhamento aos Estados Unidos.

No texto, que recebeu elogios do Itamaraty, a Casa Branca defende, como solução para o conflito, que sejam reconhecidos dois estados soberanos. Convidado para uma audiência no Senado nesta quinta-feira (5), o chanceler brasileiro reiterou que a proposta é a melhor alternativa para a região.

Ernesto Araújo garantiu autonomia e descartou que o Brasil esteja querendo apenas se alinhar ao governo de Donald Trump.

“Nesse sentido nós não estamos pensando o que faz os Estados Unidos quando estamos nós nos posicionamos. Examinamos e achamos que o Brasil tem uma responsabilidade e uma capacidade de contribuir para isso. E, no momento, achamos que essa contribuição possa se dar no apoio desse plano de paz.”

Durante a audiência, Ernesto Araújo também disse que Jair Bolsonaro deve se encontrar, em breve, com o presidente da Argentina, Alberto Fernandez. Segundo ele, o governo brasileiro tinha medo de um afastamento do país vizinho com o novo governo, mas isso não aconteceu.

“Todo o nosso interesse fundamental na construção de uma relação com a Argentina é manter o Mercosul e fazer ele continuar progredindo isso é o que nos preocupou por sinais ao contrário. Mas, de um modo não há uma elevação de barreiras ao comércio com o Brasil, isso para nós é fundamental.”

O ministro também disse que em 2020 o Brasil pretende continuar atuando para livrar a Venezuela do regime de Nicolás Maduro.

Sobre a Bolívia, Araújo afirmou que o país entrou no rumo certo depois da renúncia de Evo Morales, preparando a realização de eleições livres e transparentes.

*Com informações do repórter Vitor Brown.