Escolas ainda têm dificuldades estruturais para receber estudantes com deficiência

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2019 08h22
Marcos Santos/USP ImagensA APAE de São Paulo completa neste ano 58 anos, com a campanha Educação Inclusiva

Diante do crescimento do número de crianças e adolescentes com deficiência nas escolas, o desafio é ampliar o ritmo de inclusão.

De acordo com o Censo Escolar, por exemplo, o total de alunos com transtorno do espectro autista, matriculados em classes comuns no país, cresceu 37,2% entre 2017 e 2018.

E apesar da Lei Brasileira de Inclusão, em vigor desde 2016, ou de legislações como a do governo do Estado de São Paulo, que proíbe a discriminação a crianças e adolescentes com deficiência em instituições de ensino, as escolas ainda sofrem com a falta de estrutura.

Aracélia Costa, superintendente-geral da APAE de São Paulo, explica a importância da inclusão: “esse é nosso paradigma, incluir e apoiar pessoas plenamente na sociedade”.

A APAE de São Paulo completa neste ano 58 anos, com a campanha Educação Inclusiva. O objetivo é conscientizar a população e expor canais de denúncias para situações de violação de direitos contra pessoas com deficiência intelectual no ambiente escolar.

*Informações do repórter Matheus Meirelles