Esquema de corrupção do governo Cabral se alastrou no DF durante gestão de Agnelo Queiroz na Saúde

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2018 06h51
Wilson Dias/ABrO trabalho de investigação foi conduzido por uma força-tarefa de combate à corrupção na Saúde criada pelo procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bessa

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios deflagrou nesta quinta—feira (29) a “Operação Conexão Brasília”, com a prisão preventiva dos ex-secretários de Saúde do DF Rafael Barbosa e Elias Miziara, além de outras 10 pessoas.

A investigação aponta que o esquema de corrupção no governo de Sérgio Cabral teve ramificações e se alastrou no Distrito Federal durante a gestão de Agnelo Queiroz (PT) na área da Saúde.

Os promotores de Justiça, com apoio de policiais civis, cumpriram ainda 44 mandados de busca e apreensão em endereços no DF, São Paulo e Rio de Janeiro.

O trabalho de investigação foi conduzido por uma força-tarefa de combate à corrupção na Saúde criada pelo procurador-geral de Justiça do DF, Leonardo Bessa.

Durante a apuração, houve compartilhamento de informações das operações Fatura Exposta e Ressonância, autorizadas pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio, que tem condenado a organização criminosa liderada pelo ex-governador do Rio, Sérgio Cabral.

*Informações do repórter Arthur Scotti