Estádio Mané Garrincha vai ser administrado pela iniciativa privada

  • Por Jovem Pan
  • 05/02/2020 06h57 - Atualizado em 05/02/2020 08h07
AGÊNCIA BRASIL estádio mané garrincha Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília

O Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, vai ser administrado por um consórcio privado pelos próximos 35 anos. A empresa Arena BSB já dividiu a gestão do local com o governo do Distrito Federal desde julho do ano passado e agora obteve exclusividade. Em troca, o GDF deve receber R$ 5,5 mi por ano, além de cinco por cento do faturamento.

Desde que foi reinaugurado, em 2013, o estádio sempre deu prejuízo e custava cerca de R$ 700 mil reais por mês para manter a estrutura. Enquanto isso, nos quatro primeiros meses do ano passado somados, a arrecadação foi de R$ 232 mil.

Nos últimos anos, a arena, além de shows e eventos, tem recebido apenas jogos do campeonato brasiliense, com públicos que dificilmente passam da casa das centenas, e partidas fortuitas do campeonato brasileiro.

O Mané Garrincha foi o estádio mais caro da Copa do Mundo de 2014 e custou cerca de R$ 1,7 bi. A estrutura esteve no centro de operações da Polícia Federal, que apontaram um esquema de corrupção envolvendo os ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz.

* Com informações do repórter Levy Guimarães.