Estagnação do Brasil e escândalos da Petrobras dificultam recuperação do Rio, diz secretário

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2019 08h38 - Atualizado em 27/08/2019 10h04
Luiz Cláudio Rodrigues de CarvalhoCarvalho pediu prorrogação do plano de recuperação fiscal do Estado

O secretário da Fazenda do Rio de Janeiro, Luiz Cláudio Rodrigues de Carvalho, disse que entre as principais razões para que a economia do Estado não consiga se recuperar, além da estagnação econômica do Brasil, estão os problemas com a Petrobras. Em entrevista ao Jornal da Manhã nesta terça-feira (27), ele explicou os motivos de ter pedido uma prorrogação no prazo de pagamento das dívidas do plano de recuperação fiscal.

“A situação do Rio é muito difícil. A economia não cresce. Há uma dificuldade de equilibrar as contas porque a economia do país também não cresce”, explicou. Segundo ele, a economia do Estado foi “a que mais sofreu no país. Em 2015, 2016 e 2017, ela foi a que mais encolheu do ponto de vista dos estados, já que é muito dependente da indústria de petróleo e gás.”

“A Petrobras sofreu muito com denúncias de corrupção, desvios, ela encolheu e reduziu muito seus investimentos. Agora, ela está começando a voltar a fazer investimentos importantes, mas até então a economia do Estado sofreu bastante”, comenta.

Carvalho ressalta que o governo do Rio está fazendo um “grande esforço para reequilibrar os estados”, mas que o que foi feito até agora – como uma redução nas despesas pessoais de 1,2%, o equivalente a R$ 5,9 bilhões considerando a inflação – “ainda não é suficiente” para que as dívidas com a União, do plano de recuperação fiscal, comecem a ser pagas no ano que vem.

Ele afirmou que, por enquanto, o governo está trabalhando em “honrar com as principais obrigações”,  que são, o pagamento em dia dos salários dos servidores e os fornecedores do Estado.