EUA pressionam aliados e futuro da OTAN segue incerto

Os governos europeus têm ignorado os apelos dos EUA e buscado novos parceiros ao redor do mundo

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 13/05/2019 09h22
EFEOs americanos estão preocupados com os investimentos militares que os europeus estão preparando em seu novo plano de defesa

O futuro da OTAN segue mais incerto do que nunca com os Estados Unidos pressionando seus aliados para não perder protagonismo. Não, não tem nada a ver com uma pretensa filiação do Brasil – essa só os muito incautos mesmo compraram.

Os americanos estão preocupados com os investimentos militares que os europeus estão preparando em seu novo plano de defesa.

O parlamento do bloco já autorizou a criação de um fundo para os investimentos no setor da ordem de 13 bilhões de euros para o período entre 2021 e 2027. Basicamente, o que os europeus estão fazendo é tomar o controle dos projetos de defesa da região sem a dependência de países de fora.

Empresas extracomunitárias até podem participar do programa, mas a propriedade intelectual dos projetos desenvolvidos é toda da Europa. E também não poderá haver restrição para venda de equipamentos para outros países, como os americanos fazem hoje.

A Embraer, por exemplo, não pode exportar pra quem bem entender por ter componentes americanos em suas aeronaves. Os europeus querem evitar isso.

Segundo o jornal espanhol El País, o governo americano chegou a enviar uma carta para a União Europeia demonstrando sua insatisfação com os planos do bloco. Ainda ameaçou os europeus dizendo que a cooperação entre os dois lados do Atlântico pode estar em risco por causa dos planos atuais.

Os governos europeus, no entanto, têm ignorado os apelos dos Estados Unidos e buscado novos parceiros ao redor do mundo.

A administração de Donald Trump não tem sido considerada um parceiro confiável e a Europa deixa isso claro. Além do novo programa de investimentos militares, setor indispensável para a economia dos Estados Unidos, a Europa também se aproxima da China na área de tecnologia.

Apesar de todo o esperneio da Casa Branca, Alemanha e Reino Unido já decidiram contar com tecnologia chinesa na implantação de suas redes 5G de telefonia celular e internet.

É evidente que os americanos vão continuar liderando o mundo ainda por algum tempo – mas a supremacia do país está sendo cada vez mais questionada até pelos aliados próximos.