EUA vão negar cidadania a imigrantes beneficiados por programas sociais

  • Por Jovem Pan
  • 13/08/2019 06h55
EFERegulamentação é inspirada na Lei de Imigração de 1882, que permite a rejeição de visto para pessoas que possam se tornar um 'fardo público'

O governo dos Estados Unidos publicou novo regulamento que limita ainda mais a permissão de residência para imigrantes legais. De acordo com as novas regras, serão rejeitados pedidos de vistos temporários e de residência para pessoas que tenham rendimentos abaixo de determinados níveis ou que estejam recebendo auxílios públicos, como vale-alimentação, moradia ou seguro-saúde.

A nova regulamentação é inspirada na Lei de Imigração de 1882, que permite a rejeição de visto para qualquer pessoa que possa se tornar um “fardo público”, quando é provável que fique dependente da ajuda governamental.

O diretor de Serviços de Cidadania e Imigração da administração de Donald Trump, Ken Cuccinelli, destacou o objetivo de reforçar os ideais de responsabilidade pessoal. Segundo ele, a medida garantirá que os imigrantes possam se sustentar e se tornar bem-sucedidos nos Estados Unidos. Para o político, a mudança é permite que a lei seja cumprida de forma significativa em todo o país.

Com as alterações, os imigrantes legais terão que comprovar a autossuficiência, podendo se manter a partir das próprias capacidades ou com recursos de familiares, apoiadores ou organizações privadas. A participação de programas sociais será um impeditivo para pleitear o green card.

De acordo com o Instituto de Políticas de Migração, mais da metade dos postulantes a vistos de moradia com familiares nos Estados Unidos seriam rejeitados.

As mudanças anunciadas pelo governo norte-americano devem entrar em vigor no dia 15 de outubro.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles