Europeus encontram dificuldade em retirar visto para ficar no Reino Unido

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 15/11/2019 09h42
EFEQuem já está no território há mais de cinco anos ganha a residência permanente; caso contrário, um visto temporário é emitido

Entre as tantas dores de cabeça criadas pelo Brexit está a necessidade de registrar todos os europeus que moram na Grã-Bretanha. No total, estima-se que sejam quase 3,5 milhões de imigrantes do continente com residência em solo britânico.

E, por ordem do Governo, quem pretende continuar por aqui depois da separação precisa tirar um visto de residência.

Um sistema especial foi criado com regras bastante simplificadas e sem custos para os europeus. Dá para fazer a inscrição pelo celular e, em tese, a resposta sai em poucos dias – com um documento eletrônico sendo emitido.

Quem já está no território há mais de cinco anos ganha a residência permanente. Caso contrário, um visto temporário é emitido – e é aí que mora a grande polêmica do sistema, que vem gerando inúmeras críticas dos imigrantes europeus.

Até então um imigrante do bloco não precisava fazer nada para se mudar para cá – era só chegar e começar a vida sem nenhuma burocracia. Mas, por conta disso, milhares de pessoas hoje não conseguem provar há quanto tempo estão morando em solo britânico.

Isso criou uma fila digital imensa – cerca de 500 mil imigrantes aguardam alguma decisão do governo britânico há meses. Estimativas oficiais indicam que ao menos um milhão de imigrantes ainda precisam se registrar e eles têm até o final do ano que vem para fazer isso.

Muita gente simplesmente desistiu e está voltando para casa. Sobretudo os imigrantes do leste europeu, que se consideram vítimas de preconceito.

De fato, a imigração foi um dos principais temas de campanha durante o referendo e voltou à baila agora às vésperas da eleição-geral. Os conservadores prometem reduzir drasticamente o número de estrangeiros entrando no país se vencerem o pleito do dia 12.

Na verdade, essa é uma promessa que o partido faz desde que voltou ao poder em 2010 – sem de fato ter conseguido atingir meta nenhuma.