Evo Morales decreta estado de emergência na Bolívia

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2019 06h54 - Atualizado em 24/10/2019 11h05
EFECom mais de 95% dos votos apurados, não se sabe se haverá ou não um segundo turno entre Evo Morales e Carlos Mesa

Diante das acusações de fraude, Evo Morales falou pela primeira vez desde o início da contagem de votos e da grande confusão que está acontecendo na contagem de votos das eleições bolivianas.

O atual presidente disse que a direita tenta dar um golpe de Estado ao não reconhecer sua vitória e, por isso, aproveitou pra decretar estado de emergência.

O pais vive uma grande confusão: com mais de 95% dos votos apurados, não se sabe se haverá ou não um segundo turno entre Evo Morales – que tenta o quarto mandato -, e o seu opositor Carlos Mesa, que denuncia fraude nas apurações.

Insatisfeitas, milhares de pessoas foram para as ruas de diversas cidades da Bolívia para protestar.

Evo Morales foi dado como vencedor pelo Governo faltando contar ainda 4% dos votos – que ele afirma que dariam uma vantagem ainda maior em relação ao opositor. Se isso for verdade, o atual presidente sairia vencedor com uma margem estreita de 10% dos votos.

Na Bolívia, para ganhar no primeiro turno, é preciso ter 50% dos votos mais um ou 40%, desde que o segundo esteja 10 pontos percentuais atrás do primeiro colocado.

A missão de observadores da Organização dos Estados Americanos foi convocada a auditar os resultados.

*Com informações do repórter Victor Moraes