Evo Morales pode ser reeleito para quarto mandato no domingo

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 06h44
EFEMorales governa a Bolívia desde 2006

Os bolivianos vão às urnas, neste domingo (20), no que promete ser a eleição mais disputada no país nas últimas décadas. O atual presidente, Evo Morales, que está no poder desde 2006, agora tenta o quarto mandato. O principal opositor é Carlos Mesa, que já governou o país entre 2003 e 2005.

As últimas pesquisas de intenção de voto não são conclusivas: algumas apontam que Morales deve vencer no primeiro turno, já outras preveem um segundo turno entre os dois principais postulantes ao Palacio Quemado. Na Bolívia, um candidato vence em primeiro turno se tiver, no mínimo, 40% dos votos, e o principal oponente tiver 10% a menos.

Evo Morales e Carlos Mesa escolheram encerrar a campanha em Santa Cruz de La Sierra, a maior cidade do país, que é um reduto oposicionista. Morales pediu aos apoiadores que não o abandonem nas eleições do próximo domingo. “No domingo, não me abandonem! Nunca me abandonaram. Queremos seguir trabalhando conjuntamente para demonstrar que a Bolívia tem muita esperança”, disse.

Desde que Morales assumiu o governo, o Produto Interno Bruto (PIB) da Bolívia subiu de US$ 11 bilhões para cerca de US$ 40 bilhões. Já a dívida externa do país passou de US$ 5 bilhões, em julho de 2006, para mais de US$ 10 bilhões neste ano.

No último comício, Carlos Mesa aproveitou para atacar o governo, dizendo que Moraes está levando a Bolívia a uma “ditadura”. “E há demasiado autoritarismo que nos está levando ao caminho de uma ditadura”, garantiu.

A perspectiva é que o vencedor não tenha maioria absoluta no Parlamento e precise negociar para aprovar projetos de interesso do governo.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni