Ex-ministro da Fazenda crê que Brasil sairá de fórum em Davos com “melhoria de imagem”

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2018 07h23
Divulgação Divulgação Entretanto, Ricupero lembrou que Davos é como um “circo” com muitos picadeiros juntos

Com a presença de três ministros – Henrique Meirelles, da Fazenda, Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia, e Moreira Franco, da Secretaria de Governo – o presidente Michel Temer segue para Davos, na Suíça, na tentativa de mostrar um Brasil recuperado economicamente e exaltar os esforços do Governo para com as reformas.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o ex-ministro da Fazenda, embaixador Rubens Ricupero, afirmou que o momento é o melhor para o presidente aparecer no Fórum Econômico Mundial.

“Momento é melhor, sobretudo se levarmos em conta o que foi a imagem brasileira durante os últimos anos. Então como agora há começo de recuperação, é bom momento, porque coincide com certa euforia no mundo. Fenômeno da Bovespa não é apenas restrito a nós. Mas tem certas limitações, porque é preciso lembrar que nessa reunião deve estar Donald Trump. E além disso, segundo se diz, se prevê presença de presidentes e primeiros-ministros e isso claro dilui muito”, disse.

O ex-ministro disse ainda que o Brasil sairá de Davos com resultados em sua imagem: “o resultado é quase sempre melhoria de imagem, e em geral é um acréscimo. Se a posição do Brasil não é boa, não vale ir para Davos. Então presidente faz bem em ir agora, isso seguramente vai ter efeito na melhoria de imagem do País”.

Entretanto, Ricupero lembrou que Davos é como um “circo” com muitos picadeiros juntos. “Em cada um tem um espetáculo diferente. É difícil acompanhar o que está acontecendo. Quem vai ao picadeiro do Brasil é quem está mais predisposto, mas não será espetáculo central”.