Ex-procurador da força-tarefa da Lava Jato fala em ‘hipocrisia’ na discussão do aumento salarial da categoria

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2018 06h54
Reprodução/Facebook"O que vejo é certa hipocrisia em relação aos valores dos salários de funcionários públicos", disse Carlos Fernando dos Santos Lima

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos principais nomes da Operação Lava Jato, mas que recentemente deixou a força-tarefa, falou em hipocrisia na discussão do aumento salarial da categoria. Mas não haveria também, segundo ele, um juiz Sergio Moro com R$ 7 mil em vencimentos.

“Esse é assunto corporativo. O que vejo é certa hipocrisia em relação aos valores dos salários de funcionários públicos. Eles precisam ser discutidos, mas se achamos que um juiz como Sergio Moro deveria receber R$ 7 mil, nós certamente não teríamos um Sergio Moro, mas um juiz de R$ 7 mil”, disse.

Sobre a Lava Jato e os acordos de leniência, o procurador avaliou que é um caminho se volta, é preciso aperfeiçoamento, mas sem prescindir dos acordos de delação premiada e de leniência.

O procurador avaliou ainda que pressões políticas vão surgir para mudança nos mecanismos de combate à corrupção, e é preciso manter a comunicação com a opinião pública para os perigos de retrocessos.

*Informações do repórter Marcelo Mattos