Ex-secretário de Saúde do RJ, Edmar Santos é ouvido em tribunal do impeachment de Witzel

Braço direito do governador afastado, médico fechou um acordo de colaboração premiada após ser preso

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2021 07h44 - Atualizado em 07/04/2021 07h46
André Melo Andrade/Estadão ConteúdoNesta semana, a defesa de Wilson Witzel tentou uma manobra no STF, mas acabou frustrada

Está marcado para essa quarta-feira, 7, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, onde funciona a comissão mista que trata do impeachment do governador Wilson Witzel, um depoimento chave para a conclusão desse processo. O ex-secretário da Saúde do Rio, Edmar Santos, vai ser ouvido pelos cinco deputados e cinco desembargadores. Ele foi braço direito de Wilson Witzel, chegou a ser preso e com ele foram apreendidos mais de R$ 8 milhões em espécie em moeda nacional e estrangeira.

Porém, ele fechou um acordo de colaboração com a Procuradoria-geral da República e contou como funcionavam os esquemas de corrupção na gestão Witzel, inclusive incluindo a área da saúde. No caso, muitas irregularidades nas compras e contratações emergenciais para a pandemia da Covid-19. Wilson Witzel deve ser ouvido pela primeira vez pela corte mista na próxima quinta-feira. Nesta semana, a defesa dele tentou uma manobra no STF, mas acabou frustrada. Ela pedia a suspensão do processo de Witzel, alegando que não teve acesso completo a colaboração premiada de Edmar Santos. O STF negou a solicitação.

*Com informações do repórter Rodriga Viga