Exército deve se basear no texto constitucional, diz novo comandante

Sem fazer menção à crise que levou à troca repentina no comando das Forças Armadas, Paulo Sérgio Nogueira afirmou que a corporação ‘esteve e estará sempre junto ao povo brasileiro’

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2021 12h21
Marcos Corrêa/PRSolenidade de Passagem do Cargo de Comandante do Exército, do General de Exército Edson Leal Pujol ao General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira

Em sua primeira fala pública após tomar posse, o novo comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira, afirmou que a instituição deve “continuar representando um vetor de estabilidade e de garantia da ordem no país”. Em um vídeo direcionado aos membros da corporação, Nogueira reforçou que o Exército deve se basear no texto constitucional: “Fiéis aos princípios basilares da hierarquia e da disciplina, sob estrita observância da ordem constitucional vigente, devemos continuar a representar vigoroso vetor de estabilidade e de garantia da ordem e da paz social”, disse. O general ainda fez agradecimentos ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Defesa, Braga Netto: “Quero inicialmente agradecer ao senhor presidente da República, Jair Bolsonaro, comandante supremo das Forças Armadas, a confiança depositada neste soldado ao nomear-me para o comando do Exército Brasileiro, bem como ao senhor Ministro da Defesa, General Braga Netto, pela indicação de meu nome para tão nobre missão.”

Paulo Sérgio Nogueira também elogiou o seu antecessor no cargo, Eduardo Pujol, pela “serenidade” durante a transição. “Agradeço também ao general Pujol, pela grandeza com que me transmitiu o cargo, com inequívocas demonstrações de lealdade e camaradagem. A serenidade e o equilíbrio com que conduziu este processo foram fundamentais para uma transição eficiente, tendo por base os valores e tradições da força e sua missão. Sem fazer menção à crise que levou à troca repentina no comando das Forças Armadas, o novo comandante afirmou que o Exército “esteve e estará sempre junto ao povo brasileiro”. No discurso, ele também fez um aceno aos militares que foram para a reserva, ao pedir para que permanecessem unidos.

* Com informações da repórter Letícia Santini