Exploração mineral ‘afasta’ agronegócio da Amazônia, diz Sociedade Nacional da Agricultura

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2019 09h47
EFE/ Victor Moriyamao entanto, ele admite que existe uma enorme pressão interna e externa de ONGs quando o assunto é exploração agrícola na região

O presidente da Sociedade Nacional da Agricultura (SNA), Antônio Alvarenga, disse que “a Amazônia brasileira não pode ser um santuário intocável e a produção agrícola precisa ser desenvolvida por lá”. A avaliação foi feita na última quinta-feira (21) no Rio de Janeiro.

Segundo ele, o bioma amazônico tem um enorme potencial para ser desenvolvido mas não há espaço para produtos importantes como a soja, o milho e o algodão. Alvarenga entende que a região deveria desenvolver e aumentar seu potencial de produção e exploração de produtos que atualmente já são cultivados por lá.

No entanto, ele admite que existe uma enorme pressão interna e externa de ONGs quando o assunto é exploração agrícola na região. Além disso ele destacou que, ao longo dos últimos anos, os garimpos ilegais contribuíram para aumentar ainda mais as barreiras para o avanço da agricultura nesse bioma.

“O setor mineral, eles tentam preservar e fazer as coisas conscientemente, mas você esses últimos episódios de queda de barragem. Também dá uma imagem muito ruim pro setor.”

O presidente da SNA se mostrou contrário ao desejo do Governo Federal de autorizar a exploração mineral em terras indígenas – mas reconheceu que há um número elevado de reservas espalhadas por todo o Brasil.