‘Explosão’ de público anima museus de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2019 10h42
ESTADÃO CONTEÚDOVisitantes enfrentaram fila no último dia da exposição Tarsila Popular, no Masp

No primeiro semestre de 2019, os principais museus de São Paulo tiveram um aumento de publico de 60% em relação ao ano passado. Um dos motivos do maior Interesse das pessoas se deve as exposições individuais de grandes artistas.

Por exemplo a que esta em cartaz na Pinacoteca, do alemão Joseph Beuys, a respeito de experimentos sobre coletividade, e  a exposição do artista baiano Marepe, nomeada “Estranhamente Comum”.

O diretor do museu, Jochen Volz, também é alemão e está no cargo há dois anos. Ele afirma que a Pinacoteca faz esse exercício de chamar a atenção daqueles que não tem o costume de frequentar o ambiente da arte. “Eu acho que o que está acontecendo no Brasil é um privilégio para quem trabalha com cultura. A gente tem uma situação que, em muitos dos nossos programas, o principal público é o que não é usuário frequente de museus. Isso é uma responsabilidade para a instituição, de falar uma linguagem acessível para todos, mas também é uma grande oportunidade de fidelizar um novo público.”

Outro exemplo que de museu que está bombando em São Paulo é o MASP (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubrian) que já registrou, neste ano, o maior número de visitantes desde 2012. Claro que esse aumento se deve muito ao grande sucesso da exposição sobre Tarsila do Amaral, que superou 400 mil pessoas e se tornou a mais visitada da história do museu.

Tirar uma selife, marcar uma hashtag, a localização, postar no stories… Isso, de acordo com alguns especialistas, ajuda na divulgação daquela exposição específica e também a aumentar o número de visitantes. Com selfie, sem selfie, postando ou não na rede social, de janeiro ao final de julho, o MASP recebeu mais de 500 mil visitas.

*Com informações do repórter Victor Moraes