Exportações brasileiras de carne de frango e suínos têm, em junho, pior desempenho da década

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2018 06h41 - Atualizado em 05/07/2018 09h27
Jonas Oliveira/ ANPrO diretor-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal reforçou que o desempenho ruim é um reflexo da greve dos caminhoneiros

As exportações brasileiras de carne de frango e suínos caíram significativamente em junho e mostraram o pior desempenho da década.

O volume de aves exportado caiu 30% e os embarques de carne suína diminuíram 27%, se comparado com os resultados de maio. Em termos de receita, junho teve queda de 20,8% na avicultura e 30,5% na suinocultura também na comparação com o mês anterior.

O Brasil já chegou a exportar 400 mil toneladas de frango e tem uma média de 300 mil toneladas. Em junho, o embarque foi de apenas 250 mil toneladas do produto.

O diretor-executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal reforçou que o desempenho ruim é um reflexo da greve dos caminhoneiros. Segundo Ricardo Santin, os efeitos ainda podem aumentar porque é necessário reconquistar a confiança dos países que deixaram de receber o produto: “vemos os efeitos da greve de maneira consistente. Os efeitos que agora são de ordem de volume podem ser ainda maiores, porque temos que reproduzir aves, reconfirmar contratos e reconstruir relação que foi perdida”.

Mesmo com alguns problemas comerciais, como restrições da Rússia, União Europeia e Arábia Saudita e acusações de dumping da China, o setor não havia sofrido tanto.

De acordo com o ex-ministro da Agricultura e presidente da ABPA, Francisco Turra, este foi o pior resultado da última década: “estamos revelando um número assustadoramente baixo”.

O ex-ministro calculou que somente a BRF demitiu cerca de 12 mil pessoas por causa dos prejuízos no setor. Apesar do resultado ruim, a expectativa da Associação Brasileira de Proteína Animal é de recuperar o desempenho já no mês que vem.

*Informações da repórter Nanny Cox